O vidro é uma das descobertas mais surpreendentes do homem e sua história é cheia de mistérios. Embora os historiadores não disponham de dados precisos sobre sua origem, foram descobertos objetos de vidro nas necrópoles egípcias, por isso, imagina-se que o vidro já era conhecido há pelo menos 4.000 anos antes da Era Cristã.

Alguns autores apontam os navegadores fenícios como os precursores da indústria do vidro. A origem teria sido casual: ao preparar uma fogueira numa praia nas costas da Síria para aquecer suas refeições, improvisaram fogões usando blocos de salitre e soda.

Passado algum tempo, notaram que do fogo escorria uma substância brilhante que se solidificava imediatamente. Estaria então descoberto o vidro que, com sua beleza, funcionalidade e múltiplas aplicações, passaria definitivamente a fazer parte do cotidiano de todos nós.

Desenvolvimento

Durante o Império Romano, houve um grande desenvolvimento dessa atividade, com apogeu do século XIII, em Veneza. Após incêndios provocados pelos fornos de vidro da época, a indústria de vidros foi transferida para Murano, ilha próxima de Veneza.

As vidrarias de Murano produziam vidros em diversas cores, um marco da história do vidro, e a fama de seus cristais e espelhos perduram até hoje.

A França já fabricava o vidro desde a época dos romanos. Porém, só no final do século XVIII foi que a indústria prosperou e alcançou um grau de perfeição notável. Em meados desse século, o rei francês Luís XIV reuniu alguns mestres vidreiros e montou a Companhia de Saint-Gobain, uma das mais antigas empresas do mundo, hoje, uma companhia privada.

A indústria moderna do vidro surgiu com a revolução industrial e a mecanização dos processos. Nos anos 50, na Inglaterra, a Pilkington inventou o processo para produção do vidro Float, conhecido também como cristal, que revolucionou a tecnologia dessa próspera indústria.

No Brasil

A primeira indústria vidreira a se instalar no Brasil foi a Vidraria São Paulo, na cidade do Rio de Janeiro, no século XIX.


É uma substância inorgânica, homogênea, amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão. Suas principais características são transparência e dureza.

Não é poroso nem absorvente, ótimo isolador, possui baixo índice de dilatação térmica, suporta pressões de 5.800 a 10.800 Kg por cm².

A matéria prima consiste principalmente de areia, carbonato de sódio, dolomita e outros materiais que se misturam com "sucata" de vidro reciclado em quantidades pré-estabelecidas. Essa "mistura" é fundida em um forno a temperaturas que alcançam aproximadamente 1.600 °C, passando depois pelo banho de estanho em estado líquido, onde literalmente "flutua" pela diferença de densidade da massa de vidro e do estanho.

Com equipamentos especiais (atenuadores) forma-se ali uma cinta de vidro com a espessura desejada, além da excelente qualidade óptica, que caracteriza o vidro "float".



:: Silícia: Matéria prima básica (areia) vitrificante.
:: Soda: Baixa o ponto de fusão da silícia.
:: Cálcio: Dá estabilidade ao vidro contra agentes atmosféricos.
:: Magnésio: Transmite ao vidro resistência para suportar mudanças de temperatura.
:: Alumina: Dá resistência mecânica.
:: Cloreto de Sódio: Nitrato de Sódio e Óxido Arsênico servem como afinantes.
:: Óxido de Cobalto (azul), Óxido de Ferro (verde), Óxido de Selênio (cinza)
:: Sucata de Vidro: Usada de 20 a 40%, auxilia a fusão.

Os vidros temperados são fabricados a partir do vidro comum por isso possuem todas as suas características: Porém, o processo térmico melhora em muito as propriedades do produto. Conferindo ao vidro temperado uma resistência muito maior que a do vidro comum. A finalidade da têmpera é estabelecer tensões elevadas de compressão nas zonas superficiais do vidro, e correspondentes altas tensões no centro do mesmo.

Como ocorre o processo de têmpera?

Depois de cortado na forma e tamanhos desejados bem como efetuados cortes e furações eventualmente necessárias. Feitas essas operações o vidro é submetido ao controle de qualidade e posteriormente enviado ao processo de têmpera.
Para o processo de têmpera o vidro é inicialmente aquecido a uma temperatura aproximada de 600º C até atingir o ponto ideal. Neste ponto o vidro sofre um brusco resfriamento por um jato de ar, o que irá criar o estado de tensão no vidro.

As principais características do vidro Temperado

O vidro temperado tem alta resistência a choques térmicos, mecânicos e flexão e torção cinco vezes superiores as do vidro comum de mesma espessura.
O vidro temperado é considerado um vidro de segurança porque após o processo de têmpera sua resistência mecânica aumenta cerca de quatro a cinco vezes ,e, quando fraturado, fragmenta-se em pedaços de pequenas dimensões, com arestas menos cortantes que as do vidro comum, evitando assim, algum acidente mas grave. Entretanto, depois de temperado, não permite novos processos de cortes, furos ou recortes. Devemos tomar uma precaução no manuseio do vidro, pois, se por descuido acontecer algum acidente de impacto do vidro com algum material sólido ele poderá perder parte de sua resistência.

 

Home | A Empresa | Serviços | Produtos | Orçamento | História do Vidro | Promoção
Clientes | Parcerias | Cadastro | Fale Conosco
_____________________________________

 





Arte no Site - Criação e Desenvolvimento de Sites